Wednesday, May 17, 2006

Hum! Que delícia!





Acabo de ouvir o CD MENSAGEM de Fernando Pessoa. É um disco gravado em 1986 com o patrocínio da Gradiente e distribuído pela Gravadora Eldorado no mesmo ano. Remasterizado em CD no ano de 1997, conta com a participação dos seguintes intérpretes: Elizete Cardoso, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Gal Costa, Nei Matogrosso, Elba Ramalho, Moraes Moreira, Belchior, Zé Ramalho, Cida Moreira, a fadista portuguesa Gloria de Lurdes e André Luiz Oliveira.
Uma delícia!
Todas as 12 músicas do disco são de autoria do músico-cineasta baiano-brasiliense André Luiz Oliveira , com exceção de Nevoeiro, feita em parceiria com Zeba D'Al Farra. Os arranjos são de Francis Hime.
Todos os poemas fazem parte do livro "Mensagem" de Fernando Pessoa. Um LIVRO épico e transcendental de 44 poemas, escrito ao longo de toda a vida do poeta e somente concluído em 1935, um ano antes da sua morte; "Mensagem" foi o único livro que Pessoa viu publicado.
Aprecio muito os poemas de Pessoa. E se você também gosta, pode se deliciar com o CD-ROM a Vida e Obra de Fernando Pessoa publicada pela Porto Editora e que contém, além das obras do poeta, numerosos textos de especialistas pessoanos, uma grande quantidade de imagens, música, vídeos e um jogo interactivo.

Autopsicografia
O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.
E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.
E assim nas calhas de roda
Gira a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.

Este poema do Fernando Pessoa Autopsicografia, foi musicado e cantado pelo Tom Jobim. Está no CD A música em Pessoa, da Biscoito Fino.
Tenho também o álbum A Música em Pessoa, da Som Livre, com versos do poeta português Fernando Pessoa musicados por gente como Milton Nascimento, Sueli Costa, Francis Hime, Caetano Veloso dentre outros.

Emissário de um rei desconhecido

Emissário de um rei desconhecido,
Eu cumpro informes instruções de além,
E as bruscas frases que aos meus lábios vêm
Soam-me a um outro e anômalo sentido...

Inconscientemente me divido
Entre mim e a missão que o meu ser tem,
E a glória do meu Rei dá-me desdém
Por este humano povo entre quem lido...

Não sei se existe o Rei que me mandou.
Minha missão será eu a esquecer,
Meu orgulho o deserto em que em mim estou...

Mas há ! Eu sinto-me altas tradições
De antes de tempo e espaço e vida e ser...
Já viram Deus as minhas sensações...


Uma maravilha esse poema na voz de Milton Nascimento!

4 Comments:

Anonymous Lohanna Machado said...

Acho que só em CD para se vender poesia hoje, não? =)

2:23 PM  
Anonymous Anonymous said...

Greets to the webmaster of this wonderful site! Keep up the good work. Thanks.
»

5:32 AM  
Anonymous Anonymous said...

Looks nice! Awesome content. Good job guys.
»

1:57 PM  
Anonymous Anonymous said...

I find some information here.

10:36 AM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home