Thursday, February 15, 2007

Bicho de concha


A Literatura entrou em minha vida bem cedo. Foi um caso de paixão que se aflorou, dando-me a oportunidade de deixar de ser “bicho de concha” e tornar-me livre para a expressão; trabalhar a emoção; lidar com o imaginário, satisfazendo minha necessidade de ficção, minha busca de prazer.
Ser apresentada por meu pai à literatura constituiu um caminho que persigo com afinco e entusiasmo. Lembro-me dos seus poemas, dos versos de pasquim, do seu amor à leitura, dos estudos madrugada afora sobre o Plano Divino dos Séculos.
Aos domingos deleitava-me com as histórias que vovô Martiniano contava, sempre alegres.Mas foi na casa da tia Zulmira que eu ouvi, à vitrola, Peter-Pan e me apaixonei de vez pela leitura. Hoje esse disco de vinil é meu, presente que recebi da minha prima Jane e que guardo com prazer imenso.
Em frente à minha casa a rua era palco de discussões inflamadas sobre futebol, política e religião. Os homens, entre risos e goles, mostravam seus dentes e sua alma. As mulheres, à tarde, saiam à porta para trocar desabafos. As crianças corriam livres entre piques e queimadas. Os bigodes contornavam as bocas dos homens em desenhos pomposos e eram sinal de respeito e virilidade. Era comum os homens, ao conversarem, torcerem as pontas de seus bigodes. Eu achava isso hilário, sentia que a vida era um imenso palco, com artistas diversos.

2 Comments:

Anonymous ARTUR VAZ said...

Estimada Poetiza
Luciana Pessanha

Gostei do seu blog. Parabens pelo seu belo texto "Bicho der Concha".
Sinceramente, é uma memória cheia de ternura e amor.
Votos de muitos sucessos.
Artur Vaz,poeta e escritor- Setúbal

3:37 PM  
Anonymous ARTUR VAZ said...

Estimada Poetiza
Luciana Pessanha

Gostei do seu blog. Parabens pelo seu belo texto "Bicho der Concha".
Sinceramente, é uma memória cheia de ternura e amor.
Votos de muitos sucessos.
Artur Vaz,poeta e escritor- Setúbal

3:37 PM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home