Wednesday, August 09, 2006

PIERRE BOURDIEU (1930/2002):


"O que eu defendo", Bourdieu dizia já em 1992, "é a possibilidade e a necessidade da crítica intelectual; não há democracia verdadeira sem um contra-poder crítico, e o intelectual é um deles, de primeira grandeza."
Na sua opinião, a globalização - ou mundialização, como os franceses preferem - não poderia se "render às leis do comércio" e, ainda, esmagar culturas nacionais. Numa entrevista a Rita Tavares, publicada no Brasil em 1996, Bourdieu afirmava que vivíamos uma época de desigualdades crescentes: "Mesmo durante o capitalismo selvagem havia limites; contra o capitalismo, havia greves, etc. Agora, caminha-se para o capitalismo ilimitado; introduzem formas de gerenciamento antes inimagináveis. É a lógica do lucro sem limites. Isso é muito perigoso. Pode nos levar à barbárie."

Estou lendo o livro 'A Economia das Trocas Simbólicas' (Editora Perspectiva). O próximo será 'As Regras da Arte' (Editora Companhia das Letras).
Quero conhecer um pouco mais de Bourdieu.

"Todo o meu livro é um esforço para reencontrar a espessura da realidade social e fazer ressurgir as dores que se ocultam nela". Pierre Bourdieu

2 Comments:

Anonymous Anonymous said...

This comment has been removed by a blog administrator.

11:48 AM  
Anonymous Anonymous said...

This comment has been removed by a blog administrator.

1:12 AM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home