Tuesday, April 04, 2006


Preparei um jogral em homenagem ao “poeta da condição humana”, do ficcionista, do ensaísta, do procurador de justiça aposentado, do acadêmico Carlos Nejar, membro da Academia Espírito- Santense de Letras; da Academia Brasileira de Filosofia, no Rio de Janeiro; do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo ; e da Academia Brasileira de Letras por ocasião de sua visita a Itaperuna durante o Projeto de Incentivo à Leitura- PILL II.
Essa homenagem é uma leitura de fragmentos de poemas de Carlos Nejar, criando um mosaico de citações, relacionando textos de diversos poetas:

O poeta vai tirando da vida
os seus poemas
como pássaros desobedientes
e amestrados.
A palavra é o seu castelo,
Sua árvore encantada,
Abracadabra construindo o universo.
( Roseana Murray)

Os poemas são pássaros que chegam
Não se sabe de onde e pousam
No livro que lês.
Quando fechas o livro, eles alçam vôo
Como de um alçapão.
Eles não têm pouso
Nem porto
Alimentam-se um instante em cada par de mãos
E partem.
E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
No maravilhoso espanto de saberes
Que o alimento deles já estava em ti...
( Mário Quintana)


Um dia vi Deus numa palavra
E luminosa despontava, argila.
E Deus vagueava tudo, aquietava
As numinosas letras, quase em fila.
E depois se banhava nesta ilha
De bosques e bilênios. Clareava
As formigas noctãmbulas da fala.
E nele os meus sentidos se nutriam.
Os meus sentidos eram coelhos ébrios
Na verdura de Deus entretecidos.
A palavra luzia nos sentidos.
E Deus nas vistas do menino, roda
E roda nos olhos da palavra.
( Carlos Nejar)


Ai, palavras, ai, palavras,
Que estranha potência , a vossa!
Todo o sentido da vida
Principia a vossa porta.
( Cecília Meireles)


Chega mais perto e contempla as palavras
Cada uma
Tem mil faces secretas sob a face neutra.
E te pergunta, sem interesse pela resposta,
Pobre ou terrível que lhe deres:
Trouxeste a chave?
( Carlos Drummond de Andrade)


Palavras são como estrelas
Facas ou flores
Elas têm raízes pétalas espinhos
São lisas ásperas leves ou densas
Para acordá-las basta um sopro
Em sua alma
E como pássaros
Vão encontrar seu caminho.
( Roseana Murray)



Falou e disse um pássaro,
Dois sóis, uma pequena estrela.
Falou para que calássemos
E disse amor, penúria, brevidade.
E disse, disse, disse
A idade da eternidade.
( Carlos Nejar)

Nossa é a miséria,
Nossa é a inquietação incalculável,
Nossa é a ânsia de mar e de naufrágios,
Onde nossas raízes se alimentam.
(Carlos Nejar)

A palavra na boca
Na boca a palavra: força.
A palavra de boca em boca
Na era de calar a boca
A era de falar à força.
(Mário Chamie)






O barulho de existir:
Um cão dentro de mim.
Atravesso
Como a um pátio
O barulho de existir.
( Carlos Nejar)


Viver é estar acordado
E acordar. E comer
O pão, beber a branca
Alegria, deitar
Com as lavas.
E no tempo ajustado
Pela alma, erguer
As asas.
(Carlos Nejar)
A roda de Deus nos toca.
E vives
Como um ramo
De amanhecer na boca.
( Carlos Nejar)




Um dia vi Deus numa palavra.
( Carlos Nejar)
Ele gostou.

0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home